Soutine no Jewish Museum, em Nova York.

Chaim Soutine não tem a fama que outros pintores contemporâneos seus conquistaram. Mas é um artista respeitadíssimo e com obras penduradas nos melhores museus do mundo, a começar do D’Orsay e L’Orangerie.

Nascido em Minsk, na atual Bielorússia, Soutine muda para Paris em 1913 e barbariza a vizinhança com as carcassas de animais que ele traz para seu estúdio. Conta a lenda que essa prática deu o maior susto em seu amigo Marc Chagall que, chegando para visitá-lo, encontrou sangue escorrendo por baixo da porta…

Apesar do talento, Soutine penou 10 anos até ser descoberto por Albert C. Barnes, o milionário colecionador da Philadelphia que, de sopetão, comprou todos seus quadros. Que hoje fazem parte da Barnes Foundation, museu que ninguém deveria deixar de visitar. Uma maravilha a menos de duas horas de Nova York.

Aliás, voltemos para Nova pois o tema do post é a exposição do Soutine no Jewish Museum. Chamada adequadamente “Chaim Soutine: Flesh”, a mostra reúne 30 quadros de coleções nacionais e internacionais e estará aberta até 16 de setembro.

Uma boa oportunidade para ver ou rever a obra desse expressionista que infelizmente continua tendo mais talento do que fama. Pena a exposição não inclua seus retratos e autorretratos, mas isso sempre pode ficar para uma próxima viagem a Paris…

 

 

Foto do quadro Still Life with Fruit, de Chaim Soutine.

Compartilhar com:
Comentários
  • Ótima dica!!!

    31 de maio, 2018

Deixe um Comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.