Em Nova York você pergunta, o museu responde.

Já entrou em função no Brooklyn Museum um “guia” que é um misto de app com uma pessoa de verdade. Uma espécie de appessoa (ui!)… Tudo isso porque a coisa funciona da seguinte maneira: vamos supor que você esteja visitando o museu e se interesse por determinado quadro. Você quer saber, por exemplo, quem serviu de modelo para o pintor. Simples. Você fotografa o quadro e faz sua pergunta. Em segundos, um dos seis funcionários do museu respondem e abrem um chat com você.

O nome do app, como não poderia deixar de ser, é AskBrooklynMuseum. Que foi lançado apenas para iPhone, mas este mês passa a cobrir também Android. Diferente dos outros apps de museu, o Ask não tem áudio, não tem mapa e não tem loja. E não permite também que você partilhe sua experiência nas redes sociais. 😯

Tudo o que ele se propõe é fazer você aprofundar sua conexão com a obra de arte, fornecendo informações e tirando dúvidas. E fazendo follow-up, quer dizer, acrescentando observações importantes. O fato é que as pessoas têm aderido. Segundo o museu, o número médio de perguntas por visitante é em torno de 13.

E é claro que, a partir das perguntas, o museu enriquece as respostas. Quer dizer, o app vai ficando cada vez melhor. Mais ainda porque é grátis e não requer nem registro nem login. E só funciona na área do museu.

Financiado pela Bloomberg Connects, ele já foi baixado por mais de 10.000 pessoas, número que deverá aumentar agora que estará disponível para Android.

Ainda não experimentei, mas farei isso brevemente. Antes que o calor chegue e o museu fique in-visitável… 😉

Compartilhar com:
Comentários
  • A grande maçã sempre inovando!

    4 de maio, 2016

Deixe um Comentário