Blogagem Coletiva: Umas com tanto, outras com nada. Lena.

Semanas atrás, numa tweeting conversation entre a Cláudia, Natalie, Carina, Patricia, Carmem e  Marcie, surgiu a ideia de listar os lugares que cada uma considerava “viu-tá-visto”. Aí a conversa evoluiu e dedidiram fazer também uma segunda lista – com cidades ou países para onde voltariam sempre. Como a idéia parecia boa, uma comentou aqui, outra comentou ali… no fim,  a notícia se espalhou e conquistou dezenas de adeptos. Diante disso, decidiu-se fazer uma blogagem coletiva.

Com a palavra, a Lena Máximo.

Quando vi por alto a conversa no twitter sobre cidades de uma vez só versus cidades de muitas vezes, que começou (acho) com as opiniões dos trips sobre Viena (onde muitos não querem voltar uma segunda vez), parei um minuto para pensar.  Será que eu tenho alguma cidade na minha lista para onde não quero voltar de jeito nenhum? Hummm…. Assim de sopetão só conseguia pensar em uma: O Havre, na Normandia.  Em Viena mesmo, eu estive uma única vez e acho que não fiquei nem 24 horas! Então não cheguei a esgotar a cidade e voltaria a ela com prazer, principalmente como parte de um roteiro englobando outras cidades que desejo conhecer. Na verdade, gosto de acreditar que voltarei a maioria dos lugares que visitei, mesmo aqueles de mais difícil acesso.

Aí pensei mais um pouquinho… Não valem aquelas cidadezinhas sem nenhum atrativo turístico, né? Daquelas onde a gente foi parar totalmente por acaso. Pensando então apenas nas cidades ou lugares onde fomos como destino e não de passagem, só porque estavam no meio do caminho.  Acho que algumas simplesmente cortamos por causa da distância e do custo que significaria uma volta até aquele lugar repetido, quando poderíamos investir em um lugar novo com a capacidade de nos surpreender.  Isso acontece principalmente com as cidades ou lugares que chamaria de “cenário” ou “cartão postal”. São lugares como Foz do Iguaçu, Lençóis Maranhenses,  Amazônia, Pisa, Bruges, Fiordes Noruegueses, várias praias, etc.  Foi, viu o cartão postal, tá visto. Será?

Eu não me importaria de ir novamente a Foz do Iguaçu, para acompanhar alguém querido. Mudaria um pouco o passeio ficando no hotel das Cataratas e fazendo aqueles passeios de bote que não fiz da outra vez. Os Lençóis Maranhenses eu considero um dos lugares mais especiais que existem. Adoraria voltar se não fosse tão longe e difícil de chegar. Poderia incluir uma área onde não estive da primeira vez, como Santo Amaro. Já a Amazônia é um lugar onde várias viagens são possíveis. Se da primeira vez passei por Belém (para onde iria de novo!), Marajó, Santarém, Alter do Chão e Alenquer, da próxima iria para Manaus e algum hotel de selva.

Trancoso. Foto Lena Máximo.

Trancoso. Foto Lena Máximo.

Quanto às praias, aí o critério é totalmente subjetivo.  A princípio não voltaria a Galinhos, nem São Miguel do Gostoso, a não ser que fosse de passagem , no meio de uma “road trip” entre Natal e Fortaleza. Ou seja, não pegaria um avião de São Paulo para Natal apenas para passar uns dias em Galinhos. Mas pegaria MIL  vezes um vôo para Porto Seguro, apenas para ir a Trancoso e Arraial d´Ajuda. Tipo do lugar onde não precisa ter nada para fazer;  a contemplação basta! Seja da paisagem, seja do Quadrado ou da lua que nasce atrás da igreja 😉

Aruba seria um lugar que viu tá visto. Mas e aquele mar azulzinho tão mais perto de casa do que o Oceano Indico ou Pacífico? Iria de novo e incluiria Curaçao e Bonnaire, onde não fui da primeira vez. Voltaria também a Fernando de Noronha, Pipa, Maceió, rota ecológica e talvez a Jeri, que amei, mas é meio longe e difícil de chegar. Mas com certeza ela seria cotada para um réveillon especial!

Às vezes, cidades que não eram nada simplesmente acontecem! Caso de Tiradentes, por exemplo. Fiz o circuito das cidades históricas de Minas há muitos anos. Beeem turisticamente falando.  Adorei Tiradentes, mas passei apenas algumas horas ali. De lá pra cá, Tiradentes passou a ter Festival de Cinema, Festival de Gastronomia, etc. etc. Claro que gostaria de voltar, mas da próxima vez quero ficar lá. Nada de sobe e desce em ônibus para ver 5 cidades!

Quando morei no Texas como estudante de intercâmbio, tive oportunidade de passar uns dias em San Antonio, que eu nunca tinha ouvido falar e adorei! A cidade é uma belezinha, mas nunca pensei que um dia eu voltaria a pisar naquele Paseo Del Rio. Mas não é que muitos anos depois, fui visitar um casal de amigos em Dallas (outra de uma única vez) e acabamos indo passar o réveillon em San Antonio? Ou seja, coisas acontecem… Não precisaria ter voltado e a cidade não me pareceu nem um pouco diferente, mesmo 17 anos mais tarde.

Porém,  já me aconteceu de voltar para uma cidade onde absolutamente não tinha nenhuma intenção de voltar, mesmo tendo gostado bastante da primeira vez,  e experimentar uma sensação bem diferente.  Ninguém pensaria em voltar uma segunda vez a Saint Paul de Vences, exatamente por ser um cartão postal, um presépio. Eu voltei,  após 17 anos e me surpreendi  novamente! Achei muito diferente.  O tempo quando não muda os lugares, muda a gente!

A propósito, o TEMPO! Este cara tem o dom de às vezes nos roubar a experiência de ter estado em um lugar. Vendo hoje fotos de lugares onde estive há mais de 20 anos e que seriam lugares de uma única viagem, como a Escandinávia, seus fiordes e belas capitais, acho que se repetisse o passeio seria quase como se fosse a primeira vez!

Viagens diferentes também causam impressões diferentes. Ir a um lugar só ou acompanhada por amigos, é bem diferente de ir com um amor. E por este ponto de vista daria para fazer um repeteco de tudo! 😉

Há várias cidades, tanto no Brasil quanto fora, que não esgotei. Cidades onde fiquei pouco tempo e não vi tudo o que gostaria de ter visto ou onde não tive uma experiência mais forte e, portanto, preciso de mais uma chance. Poderiam ser visitadas não como destino em si, mas como parte de um roteiro mais amplo. Exemplo: Munique, para incluir a rota romântica da Baviera. Madri, para ir até Toledo e arredores. Santiago, para visitar mais um pouco do Chile. Salvador, porque ainda não consegui sentir a cidade direito 😉

Cidades onde gostaria de voltar: Montpellier pelo menos mais uma vez, porque passei uma temporada lá depois da faculdade e morro de saudades! Florença como base para um giro pela região. Roma, porque não explorei os arredores. Londres, porque é daquelas cidades onde uma visita nunca é igual à outra. Buzios, porque é deliciosa!

Algumas cidades são fáceis. As que ficam perto de casa, basta pegar o carro e possuem a incrível capacidade de nos oferecer uma enorme sensação de relaxamento, mesmo com toda a muvuca e trânsito para chegar até elas, como as praias do litoral Norte de São Paulo, incluindo Parati/RJ. Estas são para voltar sempre!

Paris. Foto de Lena Máximo.

Paris. Foto de Lena Máximo.

Cidades onde eu iria várias vezes por ano se tivesse $$$$$: Paris, Paris, Paris, Paris! Nova York,  Rio de Janeiro, Buenos Aires.

Resumindo: acho que sou monótona! Não me importo em repetir lugares que gosto. E mesmo tendo muita vontade de conhecer países e continentes novos, se passasse o resto da minha vida tirando férias anuais para me esticar nas praias da Bahia, vagando pelo interior da França e da Itália, me emocionando em Paris, batendo perna em Nova York ou caminhando pelas ruas e praças de Ipanema e Leblon, eu já estaria feliz da vida!

Participam dessa Blogagem Coletiva:

Abrindo o Bico

Agora Vai Mesmo

Aprendiz de Viajante

Área de Jogos da Dri

Big Trip

Blog da Nhatinha

Boa Viagem

Caderninho da Tia Helô

Colagem

Cristomasi

Croissant-Land

De uns tempos pra cá

De volta outra vez

Dicas e Roteiros de Viagens

Dividindo a Bagagem

Donde Ando? Por aí.

Dri Everywhere

Edu Luz

Filigrana

Flashes por Si

Guardando Memórias

Inquietos Blog

JB Travel

Jr Viajando

Liliane Ferrari

Ladyrasta

Mi Blogito

Mala de Rodinhas e Necessaire

Mauoscar

Mikix 

Olhando o Mundo

O que eu fiz nas Férias

Pela Estrada Afora

Pelo Mundo

Psiulândia

Rezinha Por aí

Rosmarino e Outros Temperos

Sair do Brasil

Sambalelê

Senzatia

Sunday Cooks

Turomaquia 

Uma malla pelo mundo

Uno en cada lugar

Viagem pelo Mundo

Viaggiando

Viajar e Pensar

Viagem e Viagens

Share With:
Comments
  • Começando por aqui a me deliciar com a série Umas com tanto, outras com nada. Muito sábia a Lena quando fala que ” O tempo quando não muda os lugares, muda a gente! “. Afinal o que acontece é isso mesmo. Parabéns pela iniciativa, Marcie e cia! E pelo texto, Lena.
    Um beijo

    19 de julho, 2011
  • Ai… pensei tanto em algum lugar da Itália aonde não voltaria e você achou um: Pisa hahahaa! Terei que incluir na minha lista. Bjs,

    19 de julho, 2011
  • Hahaha, digo eu, Lu!! Escrevi Pisa, mas foi a única onde nunca estive! 😆 Devo passar por lá um dia, mas viu tá visto, né?

    Obrigada, Marcie querida, pelo convite e pela postagem e às lucianas pelos comentários!

    beijos!

    19 de julho, 2011
  • Engraçado isso de não ter intenção de voltar, mas acaba voltando né? Eu fui a Saint Paul de Vence 3 vezes, hahahaha! Uma que já voltei algumas vezes mas não curto é Miami, se não fossem as tias queridas que moram lá, nunca mais ia. 🙂

    19 de julho, 2011
    • Pois eu, se voltar a Miami será como a primeira vez! Só estive lá uma vez e há taaaaaanto tempo, que tenho até vergonha de falar! 😀

      20 de julho, 2011
  • Não sei se é porque eu viajei muito pouco, mas não tenho coragem de voltar aos lugares de que gostei. Sinto que estou desperdiçando, sabe? Talvez isso mude com o tempo, não sei… A exceção é Tiradentes, mas aí eu tenho desculpa, pois muitas vezes ela está no meu caminho. 😉

    19 de julho, 2011
    • Mas muitas vezes a gente não planeja, né? As coisas acontecem… Se bem que eu sempre saio com vontade de voltar, seja pra levar alguém, seja pra ver algum lugar vizinho que não deu da primeira vez ou fazer algo diferente.
      Já Paris, não consigo imaginar uma ida à Europa sem passar por lá 😉

      20 de julho, 2011
  • Tiradentes está sendo meio maioria 🙂 Legal saber!! E é sempre esse sentimento mesmo nunca diga nunca e de se tívessemos esse tempinho a mais pra irmos sempre pros mesmos lugares….

    Concordamos com Porto Seguro e Paris! =D

    19 de julho, 2011
    • Porto Seguro é só o aeroporto, hein? O destino fica depois da balsa! 😉

      20 de julho, 2011
  • Lena, adoro monotonia.

    19 de julho, 2011
    • Uhhlálá!! 😉

      20 de julho, 2011
  • Lena querida, enquanto escrevia o post esta manhã, pensava exatamento o que você diz, os lugares não mudam, mudam nosso olhar sobre eles.
    Também não me incomodo em repetir, fui 4 anos seguidos para a Pousada do Toque em São Miguel dos Milagres, lugar ainda preservado e pousada que nos mima o tempo todo. Quando pensava em outro lugar, pensava pensava e, já que lá não tem erro, bora pro paraiso.
    E Visconde de Mauá foi também repetdia em muitos feriados.
    Só que Brasil está muuito caro 😉 Concordamos com Paris, no. 1 !

    19 de julho, 2011
    • Quero muito conhecer as cidades serranas do Rio, Majô. E esses paraísos de puro relaxamento são para repetir sempre, né? 😉

      20 de julho, 2011
  • Lena, monotona, vc?? NUNCA!! Adorei teu texto! 😀 Beijos!

    19 de julho, 2011
    • E prolixa!!! Isso que dá escrever um post na vida, outro na morte 😆

      20 de julho, 2011
  • to louca p ir p Sidney! me incentivou mais!!!!!!!!!
    amei o post 😉

    19 de julho, 2011
  • Oi Lena que delícia este seu texto.
    Na semana passada com o frio aqui no Sul, eu só falava para Juliana vamos curtir um ócio em Trancoso, é uma delícia mesmo. Não coloquei na minha lista mas é uma cidade para retornar.
    Realmente temos que ver como o tempo vai alterar nossas percepção do Lugar ou de nós mesmo.

    Beijão, e muitas viagens para nós!!!

    19 de julho, 2011
  • Quando os dias frios chegam em São Paulo, só escuto uma vozinha repetindo como um mantra na minha cabeça: “Nordeste, Nordeste, Nordeste”!!

    20 de julho, 2011
  • Lena,
    Me xplica como vc ainda não tem um blog? Você escreve que é uma delícia de ler :
    Adorei sua listinha… e assim como você, as vezes sou monotona, gosto e voltar pra onde ja fui.
    Confesso que estou numa fase de querer somente conhecer coisas novas, então fico repetitiva com restaurantes 🙂 … vou sempre nos mesmo.
    Ate; em viagem, quando gosto de algum e tenho medo de nunca mai voltar, vou de novo 🙂
    Abs

    20 de julho, 2011
    • Mirella, eu ainda nem me hospedei na “casa” de todos vocês!! O dia que não tiver mais um “quartinho” pra mim, aí quem sabe eu faço uma “casa” própria 😉

      25 de julho, 2011
  • Gostei do conceito “cartão postal”! De fato, nesses casos, é só ‘ticar’ da listinha! 🙂 Eu tinha até pensando em Bruges e tinha me esquecido, fiz questão de editar a minha – é realmente uma cidade ‘viu-tá-visto´!

    Tiradentes vale muuuuito a pena, Lena! Vai conhecer o restaurante Tragaluz, o melhor!

    E essa voz que vc tá ouvindo agora no inverno, não traz vc pros lados de cá, não? 😉

    20 de julho, 2011
    • Sempre Adri! A voz sempre me manda praí! Este ano, como a voz me enviou para fora em abril, ficou difícil seguí-la em julho 😉

      25 de julho, 2011
  • Lena querida eu não poderia ser a pessoa a concordar mais com vc com tudo e principalmente do jeito que escreveu!
    Sério, nós seguimos a mesma linha de raciocínio (só que parei no quarto parágrafo e tinha que entregar logo e vc continuou) que tinha pensado mas não consegui escrever tudo.
    Deve ser coisa de Engenheira Química!

    20 de julho, 2011
      • Querida, os blogs de vocês são como a casa na praia dos amigos 😉 Sempre abertos, arrumadinhos, lindos! Dá tanto prazer se hospedar neles, que a gente nem pensa em ter o nosso! 😉
        Beijos e mais uma vez obrigada!

        25 de julho, 2011
    • Deve ser sim! 😆 E nós colocamos San Antonio no mapa! :mrgreen:

      25 de julho, 2011
  • Lena,
    Eu ia a Tiradentes na época que a cidade não era tão badalada. Depois, fiquei com receio de voltar! Mas, sem dúvida é um lugar fofo!
    Bjs

    20 de julho, 2011
    • O problema , Lu, é que quando fui nem dormi lá! Tenho uma prima que mudou pra lá há alguns anos. Foi dona da Pousada do Ó que já comentaram no VnV. QUero muito voltar para curtir comidinhas, bebidinhas e lojinhas 😉

      25 de julho, 2011
  • Lena,
    Adorei o que você escreveu. Acredito que a companhia faz toda diferença numa viagem. E com alguém querido/amado tudo fica ainda mais diferente, E o tempo, esse senhor que nos faz companhia todo dia, muda também muita coisa. Obrigada pelo comentário lá no blog. Vou voltar pra Pipa! Bjo gde.

    21 de julho, 2011
    • Eu que agradeço! E volta pra Pipa, sim! Lá é lindo, né? 🙂

      25 de julho, 2011
  • Lena, vc resumiu tudo, todas as variáveis que influenciam voltar ou não, gostar ou não.
    🙂

    22 de julho, 2011
    • Ah, que bom que você chamou isso de resumo :mrgreen:

      25 de julho, 2011
  • Amei! Desde a forma de escrever até os lugares (mesmo os váááários que eu não conheço).
    Já disse antes e repito, voltaria para Buenos Aires quantas vezes fosse possível! Não digo o mesmo de Santiago, embora o “Sr Tempo” possa mudar a minha percepção. =)
    E quanto aos mega cartões postais, tenho certeza que meu quiexo continuará caindo na imensidão dos Lençóis Maranhenses (Santo Amaro é perfeito!) e na Chapada Diamantina. Assim como me sentirei pequena perto do Perito Moreno.
    Agora, preciso mesmo conhecer Paris, pois é um lugar onde todos voltariam… Sei que eu também vou querer voltar! =))

    12 de agosto, 2011

Leave A Comment