A New York da Dri Marques.

Pro JFK você voou. E de lá pro hotel, como é que você vai: taxi, limo, shuttle ou metrô?
Só voei pro JFK uma vez, saindo de NY e optei por chamar um motorista particular, brasileiro, que está acostumado com a quantidade de malas que nossos compatriotas costumam levar de volta ao Brasil. Estava com amigos (mais) consumistas (do que eu) e não havia qualquer outra possibilidade. Desde então eu tenho optado por voar de Newark. Quando eu chego, ainda sem muitas tralhas, é só pegar o Air Train. Ainda mais pq eu costumo me hospedar no Pennsylvania Hotel, então é só descer do trem e atravessar a rua.

OK, você chegou ao hotel, desfez as malas, e já está na rua: qual é a primeira coisa que você faz?
Primeiro, falando do hotel: Eu sei que o Pennsylvania não é visto com bons olhos pela maioria dos turistas. O hotel é antigo, os quartos não reclamariam de uma reforma, as portas e corredores são assustadores. Mas aqui entra a minha dica: eles tem uma ala do hotel chamada Penn 5000, que são quartos mais espaçosos, com TV de tela plana e 29′, escrivaninha, roupões de banho, chocolatinhos deixados no travesseiro e café da manhã incluso. Pra mim, o café da manhã deles é genial pelo simples fato de não ter a clássica e onipresente combinação ovos+bacon+panqueca+syrup. São bagels, pães de forma e croissants que podem ser transformados em torrada com o uso da torradeira existente. Tem também cream cheese e geléias de vários sabores, suco de laranja (de verdade!), café, chá e chocolate. Ah! Os hóspedes desses quartos também podem utilizar dois computadores (com acesso a internet, claro) e duas impressoras (ótimo pra imprimir aquele último ticket de basquete que você comprou). Não sei se todos sabem, mas o hotel fica exatamente em frente ao Madison Square Garden e colado num mega hub de estações de metrô, que são imprescindíveis em dias mais gelados do inverno… Continuando, como geralmente chego cedo, deixo as malas no hotel e já saio pra dar umas voltinhas. Confesso que sou magneticamente atraída pela direção da Times Square nesse primeiro momento, pra já me ver rodeada daquele turbilhão de pessoas e culturas diferentes que é a cara de Manhattan, até que …

Deu fome. Você entra em qualquer lugar ou tem um ou mais restaurantes favoritos?
Enquanto eu estou nesse clima de tentar me sentir em casa, sempre volto no Olive Garden da Times Square. A comida é um tanto quanto inconsistente. As massas sempre vêm muito cozidas, mas já comi uma das melhores carnes da minha vida lá. A lasanha frita de entrada também é muito boa. Fora isso, já saio de casa com restaurantes marcados pra visitar, mas sempre acabo dando uma chance ao acaso quando estou caminhando  e passou por um lugar que chama minha atenção. Foi assim que nessa última passagem acabei entrando na HeartLand Brewery, que é uma cervejaria artesanal de NY, que por acaso apareceu na TV no dia seguinte como um dos novos lugares a se conhecer!!!

Além do roteiro de compras, de que outras maneiras você vive a cidade? Broadway, museus, passeios, cinemas?
Sobre como viver a cidade, o que eu sempre faço é ir a um jogo de basquete. Acho incrível enquanto espetáculo, com tudo funcionando perfeitamente e a possibilidade de qualquer um sentar do lado de um torcedor no Knicks e ter a liberdade de torcer por outro time/jogador. Adoro essa civilidade, que é inconcebível no mundo do futebol carioca. E, pra fechar com chave de ouro, tem uma lojinha de frozen margarita/pina colada/etc que serve os drinks numa caneca linda dos knicks, com purpurina e que tem um botao que acende luzes! Confesso que faz o maior sucesso na volta, o pessoal todo quer uma de souvenir e eu fico feliz de ter “vindo de brinde” pra mim um sensacional recheio de frozen drink!!! Sempre que posso também procuro assistir alguma coisa na Broadway ou na Off Broadway…

Qual é a área da cidade que você mais gosta e por quê?
Depende de como eu acordar no dia… Tem dias que eu gosto das muvucas turísticas da Times Square e da 5a Avenida, tem dias que eu gosto do silêncio e verde do Central Park. Mas de uma forma geral eu gosto do Upper East Side com seu perfil mais residencial, mercadinhos, lojas para “pessoas de verdade”, crianças e adolescentes saindo dos colégios…

Outlet é out ou ainda é in? Qual?
Nunca fui a um Outlet em NY, sempre faço minhas compras em Las Vegas, onde tudo é mais calmo e geralmente mais barato que em outros Outlets. O que eu sempre compro quando estou em NY são vinhos. Muitos vinhos. O preço é infinitamente melhor do que no Brasil e, em muitos casos, melhor até do que no país produtor (caso de alguns rótulos argentinos, chilenos, de bordeaux e da Itália). Além disso, todas as lojas fazem entrega nos hotéis sem cobrança acima de um valor mínimo. Posso garantir que tiver experiências muito boas com a KD Wine e com a Sherry Lehmann. Inclusive essas duas lojas possuem lojas virtuais muito boas, com extensa informação sobre os rótulos a venda. No caso da SL, uma das gerentes é uma brasileira, que se dispões a guardar, sem custo adicional por um período de até um ano, qualquer vinho que você compre pela internet. Dessa forma dá pra ir aproveitando as promoçoes e já chegar em NY com tudo pronto! Devo acrescentar que a embalagem tipo Fedex deles é genial e que com ela é praticamente impossível suas garrafas quebrarem durante a viagem de volta.

Que conselho você daria para um brasileiro que ainda não conhece New York (se é que existe algum!).
Desista dessas viagens amalucadas de 10 dias visitando NY, Washington, Boston, Miami, Orlando, Las Vegas, Los Angeles e São Francisco… Quer dizer, por mais difícil que seja, sejam adeptos do slow travel, se deem tempo para entender e conhecer de verdade as cidades e não fazer uma mera maratona de pontos turísticos.

Ao voltar pra casa, o que você sente que está levando de NY? Além do excesso de peso, é claro.
Volto trazendo saudades, uma mente mais aberta, fotos, fotos e mais fotos e solas dos pés cansadas!!!

Compartilhar com:
Comentários
  • Essa dica do vinho é excelente! Gostei muito. Gosto dos vinhos que se compra no Trader Joe’s, mas essa facilidade de ja embalar para viagem e ainda entregar no hotel eu vou experimentar da proxima vez. abs. Eymard.

    7 de fevereiro, 2011
  • corrigindo: porque eu sempre erro?: Trader’s Joe!!!! (rs)

    7 de fevereiro, 2011
  • Muito boas as dicas, Dri! Nunca tinha pensado em comprar vinhos em NY! Fiz isso no Chile, onde também entregam no hotel embaladinhos para o vôo. E essa ala do Pennsilvanya, nunca tinha ouvido falar!!
    Valeu muito 🙂

    13 de fevereiro, 2011

Deixe um Comentário