Os americanos acham os franceses antipáticos? Sério?

Estou lançando mão de meus muitos anos de estudos antropológicos (quer dizer, zero!) para tentar acabar, de uma vez por todas, com a lenda criada e perpetuada em grande parte pelos americanos: a de que os franceses seriam grossos e antipáticos. Hahá! Repito: hahá!

Baseada em dados científicos levantados pelo Instituto Comportamental Abrindo o Bico (que inauguro neste post) passo a fazer um breve relato da diferença que existe entre um voo doméstico daquela companhia americana, cujo nome tem dois A, e daquela francesa que tem um A e um F.

. Atraso: meu voo, na companhia francesa, sofreu um atraso devido ao mau tempo. Fui avisada pelo menos 4 vezes, com informação adicional sobre a previsão de saída e outros detalhes.  Se estivesse voando com a companhia americana, estaria até agora tentando saber what the hell was going on.

. O avião: Limpo. Eu disse: limpo. O tempo inteiro, banheiro inclusive! Na companhia americana, depois do primeiro pipi, não quero voltar lá nunca mais.

. As aeromoças: Sim-pa-ti-cí-ssi-mas. Sim, isso mesmo, extremamente prestativas, sorridentes, educadas, sem nenhum chilique ou surto.  Até bom apetite nos desejaram.  Bom apetite na classe econômica?! vocês devem estar se perguntando. Sim, leiam os ítens seguintes.

. Ainda na pista: Como a decolagem ia demorar um pouco mais de meia hora, o que fizeram as aeromoças? Serviram um snack para todo mundo. Além de água, é claro.

. Refeição: A surpresa já seria ter havido uma. Pois houve! Não aquele pacotinho com duas  míseras torradas que as adoráveis funcionárias do lado de lá do Atlântico despejam sobre os passageiros. Aqui, serviram uma refeição: salada, pasta, peixe, baguete e camembert. Simples, porém com uma apresentação bonita, e tudo muito saboroso. Tanto assim que o sanduba que eu tinha comprado, acostumada que sou a viajar nos Esteites – dançou! E vou repetir: a cada uma das 138 refeições que as funcionárias serviram elas desejavam, com um sorriso, bon appéttit!

. Bebida: Last but not least, vinho. Grátis. E francês, é claro. Quantos quisesse. E elas com aquele mesmo sorriso. How hard was that?

Da próxima vez que um americano falar que os franceses são “oh, so rude”, vou mandar ver esta história.

Compartilhar com:
Comentários
  • Voando Air France ? Ryka, phyna ! AdoUroooo

    10 de novembro, 2010
  • É tão bom viajar com uma tripulação agradável né? Vou me lembrar dessa cia quando eu for pra Zoropa ;D

    10 de novembro, 2010
  • Hahaha!
    Entào vou engrossar o coro para sua tese 🙂
    Em um vôo curtinho da Air France uma vez, depois de ter jantado com o tal vinho nacional, perguntei para o aeromoco 😉 se poderia ganhar uma garrafinha extra pra levar (ia para a casa de um amigo). Ele respondeu: “Claro! Tome, três! Só não pode tomar todas de uma vez!” E sacou 3 garrafinhas na minha mesinha!!

    E eu só pensava: “mas quem foi que inventou que eles são grossos?!”

    Beijos!

    10 de novembro, 2010
  • É vero! O serviço da Air France continua excelente nos voos, sempre foi. Acho uma fofura entregarem um menuzinho até na classe econômica nos voos intercontinentais – e ter sempre champagne disponível nos aperitivos da econômica nesses mesmos voos, pra mim, já é um baita luxo.
    Bom, quanto aos da companhia americana cujo nome tem dois As… xapralá, né?

    10 de novembro, 2010
  • Nunca voei com a companhia dos dois As, mas acabo de voltar de NY voando com a Continental. Comparar este voo com o que fiz pra Paris em 2008, pela Air France, é de fazer chorar. Nem o “kit sobrevivência” (máscara, protetor auricular, etc) eles fornecem… Entretenimento de bordo? Pouquissimas opções… Educação da tripulação? Zero na ida… na volta foi um pouco melhor pq parte da equipe era brasileira. Nada de champanhe, vinho só pagando, e o café da manhã era um completo desastre. Saudades de voar AF…

    10 de novembro, 2010
    • Andreza, e voce voou na melhor cia aerea americana, que e a Continental, (empatada somente com a JetBlue mas que tem poucas opcoes de voo internacional). Nenhuma cia aerea americana da esse kit ha anos, e apenas a Continental serve comida em voos domesticos ainda (e nao todos). O resto das cias aereas aqui serve apenas pacotinhos de amendoim ou pretzels, se serve alguma coisa em voo domestico…um terror. Sem contar que a tripulacao da Continental normalmente da um banho de simpatia e educacao no resto das cias aereas daqui, entao voce pode imaginar como e o resto.

      Marcie, nunca viajei de Air France, se tiver uma oportunidade futura vou lembrar desse seu post!

      12 de novembro, 2010
  • Marcie,

    Adorei esse post! As companhias americanas são realmente de lascar e a tripulação parece que está fazendo um favor para você. A comida então não tem nem comparação!! E olha que a Air France nem é a melhor companhia em termos de serviço. Os americanos deveriam realmente olhar mais para o seu umbigo, mas isso já é pedir muito, né não?

    Abraços!

    10 de novembro, 2010
  • Bom ouvir isto, pois a impressão que tenho é que os franceses em geral são mais simpáticos com quem domina a língua deles 🙂

    10 de novembro, 2010
  • Marcie,
    A Air France continua sendo minha empresa aérea favorita. Desde minha primeira viagem a Paris, quando tive Melão e Prosciutto no café da manhã e jamais esqueci, até a última com o D ano passado, sendo paparicadíssimo por elas, com brinquedinhos em cada vôo, pergunta a cada trecho se precisavamos de alguma coisa.
    Acho o serviço deles fenomenal… e ainda não entendi essa de francês grosseiro. Minhas viagens ao país sempre foram maravilhosas e não acredito que eu tenha “dado sorte”.

    10 de novembro, 2010
  • Marcie,
    nunca fui à França pra saber se os franceses são de fato grosseiros, mas será que não se trata somente de uma diferença na hora do atendimento?
    Será?
    Se bem que o serviço prestado é bem representante da cultura do país. Qualquer serviço no Canadá parece um favor – e isso ficou claro já no avião, que as aeromoças eram duras e sequer olhavam no rosto, sempre apressadas e meio cranky. Já no Brasil, sorrisos e presença no atendimento, apesar dos vários problemas do Brasil.
    Bom, deixa eu ir ler o resto do blog.
    Bjo!!

    12 de novembro, 2010
    • Eu nunca os achei grosseiros, Isabella. Mas quis apenas salientar mais uma diferença, 😆

      13 de novembro, 2010
  • Plagiando a Silvia do @matraqueando , a história do serviço prestado está basicamente na importancia em saber a diferença entre simples e muquirana
    (pra não ter que listar uma montanha de adjetivos).

    18 de novembro, 2010
  • Já fui aos EUA com a Delta e não foi tão ruim, não. O mesmo padrão apenas regular da TAM, com quem fiz os vôos das outras idas aos EUA.

    Voei NYC-São Francisco com a AA e foi razoável, talvez porque eu já estivesse preparado para o pior. Mesmo assim, em fevereiro vou para Orlando com a AA e, alertado por esse post, vou montar um kit entretenimento-descanso-comida.

    21 de novembro, 2010
    • Se você for voar no 767 é bom ter entretenimento a bordo mesmo. E tente escolher um assento da saída de emergência.

      22 de novembro, 2010
  • A AA pelo menos tem uma política clara para upgrades. Eu mesmo consegui já duas vezes. Veja: http://www.falandodeviagem.com.br/viewtopic.php?f=3&t=490

    23 de novembro, 2010

Deixe um Comentário